História

Os arqueólogos têm afirmado que existem provas da presença humana na região de Hong Kong há 35.000 a 39.000 anos. O primeiro imperador da China conquistou as tribos Baiyue em Jiaozhi em 214 a.C. e anexou o território para a China imperial. Na dinastia Tang, a região de Guangdong (Cantão) floresceu como centro financeiro e comercial regional. Jorge Álvares, explorador português, foi o primeiro visitante Europeu conhecido a chegar, em 1513. Em meados do século XVI, foi aplicada uma política de porta fechada que proibiu estritamente todas as atividades marítimas para evitar o contato com estrangeiros pelo mar. A recusa das autoridades de Qing em apoiar a importação de ópio em 1839 causou a eclosão da Primeira Guerra do Ópio. O Império Britânico e o Império de Qing lutaram incansavelmente, com a subsequente derrota de Qing a resultar na ocupação da ilha de Hong Kong pelas forças britânicas em 20 de janeiro de 1841. Em 1842, foi assinado o Tratado de Nanquim e o nome, Hong Kong, foi registado pela primeira vez em documentos oficiais para incluir a totalidade da ilha. Na época, a Ilha de Hong Kong tinha 7.450 habitantes. Os japoneses ocuparam brevemente Hong Kong durante a Segunda Guerra Mundial. No dia 1 de julho de 1997, ocorreu a transferência de soberania de Hong Kong do Reino Unido para a República Popular da China, marcando oficialmente o fim de 156 anos de Hong Kong sob governo colonial britânico.

Instituições Bancárias

Em 2015, Hong Kong contava com 159 bancos licenciados, 21 bancos com licença restrita e 23 empresas de aceitação de depósitos, num total de 203 instituições autorizadas com 1.372 sucursais locais. Existem também 63 escritórios de representação local de bancos estrangeiros em Hong Kong.

Legislação e Regulamentação

A Autoridade Monetária de Hong Kong e a Comissão de Valores e Futuros de Hong Kong são os reguladores dos serviços financeiros de Hong Kong, juntamente com o Banco da China. Vários departamentos do BDC e da Autoridade Monetária são responsáveis pela supervisão regulamentar do setor bancário em Hong Kong, com a Comissão de Valores e Futuros de Hong Kong a ser responsável pela regulação dos mercados financeiros. Estes departamentos possuem vários mandatos regulamentares para supervisionar as atividades dos bancos nacionais, dos bancos estrangeiros, bem como das empresas de serviços financeiros e outras instituições financeiras.

Sigilo Bancário

Hong Kong está classificado na 3ª posição no Índice de Sigilo Financeiro de 2014, o que o coloca no topo da escala de sigilo. Hong Kong é responsável por mais de 4% do mercado global de serviços financeiros offshore, pelo que é um dos principais operadores. De acordo com o Índice de Sigilo Financeiro, Hong Kong é, atualmente, uma das jurisdições que praticam sigilo com mais rápido crescimento a nível mundial. O Índice de Sigilo Financeiro indica que "Hong Kong desenvolveu-se ao longo das décadas num espírito extremamente liberal e anti-impostos, e inclusivamente contra a intervenção do governo, com muitos a chamarem-lhe a economia mais livre do mundo".

Pagamentos Eletrónicos

Hong Kong é membro da Sociedade de Telecomunicações Financeiras Interbancárias Mundiais (SWIFT). A rede SWIFT é o mais seguro e protegido sistema para transações financeiras a nível mundial.

Serviços Bancários

A SFM está associada a uma rede alargada de bancos privados e importantes em Hong Kong. Todos os bancos para os quais remetemos os nossos clientes oferecem uma plataforma bancária internacional, com contas com várias divisas (£, € e $), além de banca online e cartões de crédito/débito. Tenha em atenção que a sua presença física será necessária para o procedimento de abertura de conta.

Depois de concluída o seu pedido, ser-lhe-á atribuído um gestor de conta que o irá orientar nos procedimentos de abertura da conta bancária. Em seguida, vamos selecionar consigo, de forma criteriosa, entre os nossos principais parceiros, aquele que se adaptar exatamente às suas necessidades.

Quais os documentos necessários para abrir uma conta bancária?

Regra geral, o banco solicita uma cópia autenticada do passaporte do acionista e do diretor (beneficiário efetivo), bem como uma prova de residência recente, com menos de três meses. Se o cliente visitar o banco pessoalmente para abrir a conta, não será necessária uma cópia autenticada do passaporte.

Vamos enviar-lhe por e-mail, sob a forma de anexo, os documentos adicionais necessários para a abertura da conta que terá de assinar e devolver, de preferência por correio especial (DHL, FedEx ou Chronopost), juntamente com os outros documentos mencionados anteriormente.